Só imaginando um futuro para o profissional de Segurança do Trabalho

21.06.2016

Segundo a OIT, apenas 26,4% dos trabalhadores no mundo têm contrato permanente de emprego, ou seja, os quase 75% restantes são de trabalhadores por conta própria, com serviços temporários ou que atuam sem qualquer tipo de contrato. Estes dados foram divulgados em 2015 e são referentes ao período entre 2009 e 2013.

E daí professor o que isso tem a ver com o SESMT? Há uma obrigatoriedade de contratação acho que podemos ficar tranquilos.

Será que ter uma obrigatoriedade de contratação para o SESMT é tão bom assim?

E por que não seria, professor?

Primeiro porque eu acho que ficar na zona de conforto pode nos deixar preguiçosos e temporariamente cegos para as mudanças no mercado de trabalho.

Vamos imaginar, e estou falando apenas para imaginar (não significa que irá acontecer), que o mercado de empregos formais diminua devido a automatização que possibilita, dependendo do serviço, maior qualidade, precisão e trabalho árduo sem reclamar.

 

Continuando na imaginação, talvez passemos a ter até mais empresas, mas cada vez mais trabalhando em nichos específicos, como consequência teremos menor número de vagas formais e como os profissionais do conhecido SESMT dependem do número de trabalhadores contratados, há uma tendência na queda de empregos.

Professor, eu estava aqui tranquilo, agora vem o senhor e coloca esta pulga atrás da minha orelha.

Desculpe, meu filho. Espero que eu esteja enganado e que o mercado não mude.

Tudo bem, professor. Mas eu já estou estudando e me mantendo atualizado em relação à SST.

Ok, mas vamos imaginar...

De novo, professor!

Chora não. Você sabia que mesmo os serviços que exigem conhecimento específico também começam a cair? Por exemplo, já temos artigos de jornais feitos por máquinas e casos de diagnósticos médicos sendo triados por computador.

Perceba que mesmo o conhecimento, pode ser substituído, pois hoje ele cabe na palma da mão e tem tela touch. Mas o que não cabe na mão é a capacidade de utilizar estas informações de forma criativa, saber interagir com as pessoas, saber liderar, ou seja, o mercado irá a cada dia precisar mais das habilidades únicas dos seres humanos e ficar esperando que uma reserva de mercado seja o suficiente para manter seu emprego nas próximas décadas pode ser um problema.

Mas se você preferir é só você não imaginar e esperar que nada mude.

Autor: Mário Sobral Júnior – Engenheiro de Segurança do Trabalho

 

 

Please reload