Na fanpage do Jornal Segurito, posto diversos materiais e algumas fotos com trabalhadores se expondo a riscos e sempre chegam diversos comentários.

Recentemente postei a foto em destaque, que foi bastante compartilhada e percebi que muitos profissionais têm uma visão distorcida sobre a Segurança do Trabalho.

Um comentário frequente foi relacionado à indignação de ver um trabalhador estar se expondo ao risco, e que muitas vezes este mesmo trabalhador reclama das condições de Segurança da empresa.

Vamos parar um pouco para avaliar o que ocorre na vida real.

É óbvio que é uma empresa sem cultura de Segurança e neste tipo de empresa, dentre várias outras possibilidades, pode haver uma chefia de repressão, daquela que diz o seguinte: ou faz ou está na rua. Neste caso, dependendo da necessidade do trabalhador, ele prefere fazer.

Mas pode ser uma empresa sem cultura de Segurança, mas com uma liderança que consegue motivar a todos a realizarem as suas atividades. Pode ser que o trabalhador esteja realizando a “peripécia” por acreditar na empresa e ser estimulado a concluir o serviço.

Na verdade, ele pode ser visto como um excelente funcionário e ao final será elogiado pela “coragem” e por ter conseguido concluir a missão.

Outro comentário frequente foi relacionado à falta de fiscalização do MTE e dos profissionais de Segurança do Trabalho. E este comentário é preocupante porque passa a ideia de que a responsabilidade por evitar um acidente seja exclusiva da Segurança do Trabalho.

Fiquei preocupado porque os comentários foram de profissionais de Segurança do Trabalho e se na nossa área ainda não temos uma visão mais abrangente como é que podemos esperar que os demais trabalhadores a tenham?

Please reload