Cuidado com os exames de imagem

09.10.2016

Chamamos de exames de imagem as radiografias, tomografias, ressonâncias e ultrassonografias. A tecnologia atual, a propaganda e um certo comodismo dos médicos fizeram que tais exames assumissem uma importância talvez maior do que real, tornando-os “verdades” incontestáveis, levando trabalhadores, empresários e principalmente advogados a se esquecerem dos frequentes e importantes resultados falsopositivos e falso-negativos, mesmo em exames de boa qualidade e bem interpretados. Muitas vezes, a “ânsia” de se encontrar um “culpado”

faz aparecer uma alteração anatômica normal à idade como a causa da queixa e da reclamação trabalhista, principalmente diante dos complexos nomes dessas alterações, nem sempre indicando a presença de doença (protrusão discal, desidratação discal, tendinopatia, osteofitose, escoliose postural, sinais incipientes, lâmina líquida na bursa, etc).

 

A literatura médica pode (e deve) ser facilmente consultada (www Pub Med) e aí se entrarão as altas frequências de exames ditos “positivos” em indivíduos assintomáticos.

Deve-se dar atenção à sensibilidade e à especificidade. A sensibilidade mede a capacidade do teste em identificar corretamente a doença entre aqueles que a possuem (“positividade na doença”). A especificidade mede a capacidade do teste em excluir corretamente aqueles que não possuem a doença (“negatividade na saúde”).

Quanto maiores forem esses fatores, maior a resolutividade do exame. Exemplo: A radiografia lombar não é nem específica, nem sensível para mostrar hérnias discais. Se a ressonância mostrar protrusão discal, isso não corresponde a hérnia discal. Se houver hérnia discal, ela pode ser assintomática em até 30% dos adultos e mesmo regredir com o tempo. E pode ainda ser causada por predisposição genética ou familiar e nada ter a ver com o trabalho leve a moderado de um operador de tornos CNC. Portanto, leigos, paciente e mesmo médicos, cuidado ao ler e interpretar os relatórios de exames de imagem.

Luiz Philippe Westin Vasconcellos, perito médico ortopedista e fisiatra, autor de Simulação na Perícia Médica e Temas de Interesse Pericial.

(Jornal Segurito - 113 - http://www.jornalsegurito.com/fevereiro )

Please reload