A Segurança do Trabalho e o Cisne Negro

16.10.2016

Sempre comento sobre a necessidade da padronização e da avaliação do histórico da empresa para planejar as ações futuras, Porém, precisamos estar alertas, pois nem tudo pode ser previsto por meio de estatística e nem todo histórico serve de referência para a nossa empresa.

 

Agora danou-se, professor! O senhor hora fala uma coisa e depois fala outra. Assim não dá!

 

Calma, meu filho! É justamente a mente aberta que possibilita um maior número de soluções. Mas voltando ao tema, por que nem toda padronização pode ser considerada verdadeira?

 

Li um trecho do livro “A Lógica do Cisne Negro”, de Nassim Nicholas Taleb e lá encontrei um conceito interessante explicando justamente com um exemplo do tal do cisne.

 

Antes da descoberta da Austrália, mesmo os especialistas na área acreditavam que só existiam cisnes brancos e afirmavam, por evidências empíricas, que não existiria a versão negra desta espécie. Imagine a surpresa dos ornitólogos quando visitaram a Austrália e viram que eram algo comum no novo continente.

 

Professor, nem vou perguntar onde está a Segurança do Trabalho, porque já sei que o senhor irá inventar uma história deste negócio. Então, fala logo.

 

Meu filho, antes de tudo recomendo um suco de maracujá ou um chazinho de erva cidreira. Mas é verdade, você está certo, podemos usar este exemplo para o profissional de Segurança do Trabalho.

 

A moral da história é entender que não podemos nos apegar tanto ao nosso atual conhecimento.

Um exemplo simples é relacionado à nanotecnologia. Mesmo com o histórico de anos em relação a um determinado produto químico, basta mudar o seu tamanho para dimensões “nano” que todas as nossas verdades podem escoar pelo ralo.

 

No exemplo do livro, bastou um cisnezinho para destruir uma teoria de décadas. Então mesmo com um histórico e com dados estatísticos precisamos tomar cuidado para ter sempre os olhos abertos para não deixar passar nada, e conseguir ver mesmo na escuridão da ignorância, um cisne negro.

 

Autor: Mário Sobral Júnior – Engenheiro de Segurança do Trabalho. (Jornal Segurito edição 121 - Baixe em: http://www.jornalsegurito.com/outubro)

Please reload