E depois que você implantou a melhoria de Segurança do Trabalho?

Após muita luta, muita saliva gasta para argumentar com o patrão, levantamento dos custos pela falta de Segurança do Trabalho, você finalmente consegue a autorização e os recursos necessários para implantar uma melhoria e não há dúvidas, realmente irá beneficiar o trabalhador.

Melhoria implantada, vamos agora tentar resolver um novo problema. Porém...

Professor, o senhor às vezes dá nos nervos, já fiz tudo e ainda tem “porém”?

Calma, meu filho!!! O “porém” tem um motivo justo. Sempre que implantarmos uma melhoria precisamos aguardar um período para avaliar se realmente a ideia deu certo.

Por exemplo, imagine que o trabalhador estava carregando uma caixa de 40kg e em função dos inúmeros afastamentos e processos judiciais, acabamos conseguindo convencer a empresa a utilizar caixas de 20kg. Tudo certo, mas quando voltamos para avaliar o resultado percebemos que o trabalhador acaba carregando duas caixas, porque assim faz um menor número de viagens e acha que uma caixa é muito leve.

 

 

Outro exemplo, imagine agora que temos um trabalhador bem mais baixo que os demais e para resolver sua dificuldade no posto de trabalho mandamos confeccionar uma bancada e uma cadeira menor.

Depois de alguns dias voltamos ao setor e percebemos que o trabalhador está em outra bancada. Ao perguntar para ele o motivo, ele responde que não quer ficar em um posto de trabalho pois os demais estão ridicularizando ele, chamando-o de anão.

Perceba que as duas ações, aparentemente, são boas, mas não consideraram o trabalhador, que sempre precisa fazer parte da solução. Precisamos consultá-lo para avaliar se não há alguma restrição na melhoria ou mesmo para saber se ele não tem uma ideia melhor do que a nossa, pois como tem mais experiência no posto pode ver soluções que nós não conseguimos enxergar.

Please reload