Não vai atrasar o PGR

Meu filho, você já está elaborando o PGR na sua empresa?

Mas não é só para o ano que vem?

O problema é que para desenvolver o inventário de riscos, dependendo do porte da empresa, você irá precisar de vários meses para elaborar algo bem feito.

Certo, professor. Estou fazendo, mas não está sendo a minha prioridade, pois como faço sozinho e tenho muitas outras atividades não tenho tido tempo.

Mas não é para fazer sozinho, não.

Não tem jeito, aqui na empresa só tem eu de técnico.

Mas não estava pensando em outro técnico.

Então em quem?

Você já leu o item 1.5.3.3 da nova NR 01 que apresenta o seguinte:

A organização deve adotar mecanismos para:

a) consultar os trabalhadores quanto à percepção de riscos ocupacionais, podendo para este fim ser adotadas as manifestações da CIPA, quando houver;

Já tinha lido, mas não tinha me tocado que eu precisava da opinião dos trabalhadores em relação à percepção dos riscos.

Pois comece a se tocar. A sua avaliação, por mais detalhada que seja não terá a mesma profundidade do que o levantamento feito em conjunto com os trabalhadores. Eles realizam a atividade diariamente e sabem todos os detalhes que você dificilmente conseguirá identificar sozinho.

Pô, professor o senhor só dá trabalho, mas tá certo, vou me dedicar mais ao PGR e ver uma forma de consultar os trabalhadores em paralelo.

Meu filho, só um alerta final, faça independentemente da legislação, pois muita coisa pode mudar, mas acho uma ferramenta importante para auxiliar na gestão da Saúde e Segurança do Trabalho.

Mário Sobral Jr. – Eng. de Seg. do Trabalho (Jornal Segurito 167)