Segurança do Trabalho não é bico!

Vez por outra dou aula na especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho e parte do público é composta por técnicos de Segurança que fizeram uma graduação e por engenheiros e arquitetos que nunca tiveram contato com o tema. Com os ex-técnicos, normalmente, não tenho problema em relação a motivação que os levaram a realizar a especialização, mas com os demais, que geralmente já estão inseridos no mercado de trabalho em suas respectivas formações, tenho que dar um puxão de orelha para entenderem que esta área não é um bico.

Deixa eu explicar melhor. Como você sabe o Engenheiro de Segurança do Trabalho tem a possibilidade de ser contratado por 3h, então muitos pensam em continuar prestando serviço na sua área de graduação e usar a Segurança apenas como complemento de renda.

Na teoria não é problema, mas na prática é bem difícil de isso dar certo, pois para atuar fixo 3h em uma empresa você precisa ter um vasto conhecimento sobre o tema e sem uma dedicação, há uma imensa probabilidade de se tornar um profissional medíocre.

Alguém pode estar pensando: Então tenho de migrar de área? Por exemplo, se sou Engenheiro Civil vou ter que largar tudo e começar do zero na Segurança do Trabalho?

Na verdade, apesar de eu ter feito isto, não precisa ser assim!

Para aqueles que já têm uma carreira consolidada, sempre recomendo que apenas puxem sua formação para a área de Segurança e passem a prestar serviço. Por exemplo, se você tem formação de Eng. Eletricista, é mais fácil trabalhar com a NR 10; se é engenheiro mecânico, a NR 12 será seu foco e assim com as demais NRs. Porém, se o seu objetivo é trabalhar fixo em uma empresa aí fica complicado sem uma dedicação, pois você será um gestor de todos os temas de Segurança e pode ter certeza que apenas com a especialização não terá conhecimento suficiente para realizar um serviço bem feito.